Carregando

Reumatologia: saiba tudo sobre essa especialidade médica

Se a sua meta é atuar sempre em benefício da qualidade de vida dos pacientes, a Reumatologia pode ser a área da medicina ideal para você, pois proporciona um acompanhamento próximo e constante da evolução de cada quadro. 

Além de ser gratificante, essa especialidade médica oferece excelentes oportunidades no mercado de trabalho, que sofre um déficit de profissionais especializados em diversas regiões do Brasil. Saiba mais sobre o que é Reumatologia e como ingressar na área.

Afinal, o que um reumatologista faz?

O reumatologista é o médico especializado em doenças do sistema musculoesquelético e do tecido conjuntivo, do qual estruturas como tendões, articulações e ligamentos fazem parte.

Como esse profissional também trata de ossos e músculos, é muito comum o público confundir as funções dele com as de um ortopedista. Porém, enquanto a Reumatologia foca na parte clínica e nos problemas inflamatórios ou degenerativos, a Ortopedia envolve cirurgias e tratamentos de fraturas e correções.

Muitas das doenças reumatológicas englobam dores crônicas ou afetam os movimentos do corpo. Portanto, mais que diagnosticar as doenças e receitar um tratamento, o médico reumatologista acompanha a evolução do paciente de forma constante para promover a reabilitação.

Além dessa proximidade com o paciente, a Reumatologia exige certa disposição para o trabalho em equipe. Como há uma grande diversidade de patologias que, em alguns casos, acomete órgãos internos, além do sistema musculoesquelético, é necessário fazer parcerias com outros especialistas.

Doenças estudadas pela Reumatologia

Na verdade, o que chamamos popularmente de reumatismo é um conjunto de mais de 100 doenças, com várias peculiaridades. Muitas delas são bem comuns, tanto que, de acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 15 milhões de brasileiros sofrem de alguma dessas patologias.

As doenças reumatológicas, ou reumáticas, podem afetar diferentes órgãos em variadas intensidades, mas um sintoma faz parte da maioria delas: dor nas articulações. Já as causas podem ser inflamatórias, metabólicas, autoimunes ou degenerativas.

Entre as doenças mais conhecidas estudadas pela Reumatologia, estão artrite reumatoide, artrose, fibromialgia, bursite, osteoporose, gota, lúpus e lombalgia, isto é, dor na lombar, que, segundo a Organização Mundial da Saúde, pode atingir cerca de 80% da população, e também pode ter causas reumatológicas. .

Com diversas causas e grande abrangência, as patologias reumáticas podem atingir pessoas de qualquer faixa etária, gênero ou constituição física. Para o especialista em Reumatologia, não falta demanda de trabalho, mas é imprescindível ter uma formação completa e investir em atualizações constantes.

Mercado de trabalho para reumatologistas

A maior demanda para o profissional de Reumatologia está na prática clínica. Por haver muitas doenças crônicas, sem cura, o acompanhamento é fundamental para garantir melhor mobilidade e qualidade de vida, o que ocasiona relações duráveis de trabalho entre os médicos e os pacientes.

O setor público, em ambulatórios, nas regiões que concentram menor número de profissionais, é um ótimo caminho para ingressar no mercado. De acordo com o último estudo Demografia Médica no Brasil, de 2020, há somente 2.727 reumatologistas registrados no país, e a maioria atua no Sudeste.

O médico reumatologista também pode encontrar vagas na área de pesquisa. Com os avanços científicos, há chances de atuação na indústria farmacêutica, para criação de novos medicamentos, ou nos laboratórios, para estudos genéticos e de anticorpos.

Outra opção é focar em procedimentos pontuais ligados à reumatologia, como realização de exames invasivos e ultrassonografias ou aplicação intravenosa de imunobiológicos, realizada em centros de infusão, que requer o acompanhamento de um especialista.

Quanto um reumatologista ganha?

A remuneração do reumatologista pode variar de acordo com diversos fatores, como experiência e local de atuação. Porém, de acordo com pesquisa do MeuSalário.com.br, realizada entre março de 2021 e fevereiro de 2022, o salário médio no país é de R$ 5.147,62 para uma jornada de 18 horas semanais.  

O número foi apurado por meio de dados oficiais do Novo CAGED, além de contratações e desligamentos no período. Ainda segundo a página, a faixa salarial do especialista fica em torno de R$ 4.116,62 a R$ 11.172,60, sem levar em conta adicionais ou bônus.

Residência em Reumatologia

Para diagnosticar e tratar patologias com tantas variáveis, o profissional com especialização em Reumatologia  precisa ter uma base sólida em teoria, prática e interação com outras especialidades. Por isso, para ser reconhecido como reumatologista, o processo é bem puxado.

O primeiro requisito é ter dois anos de residência em Clínica Médica para ingressar na residência em Reumatologia, que também dura dois anos e tem uma carga horária extensa, de 60 horas semanais.

Dessas 60 horas, 30 devem ser dedicadas a trabalhos ambulatoriais, enquanto as outras 30 podem ser cumpridas em unidades de internação, laboratórios, medicina física, reabilitação, estágio complementar em Ortopedia e outras atividades.

Com o fim do período de residência, os médicos podem se inscrever para a prova da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), que concede o título de Especialista em Reumatologia (TER) aos aprovados. Os especialistas também podem se associar à entidade e contar com diversos benefícios oferecidos.

Conte com a gente para ingressar na residência médica

A Reumatologia é uma área gratificante e que oferece muitas oportunidades no mercado. Todo esforço para ingressar na especialidade vale a pena. Então, nada como uma forcinha, não é mesmo?

Para você se sair bem nos principais processos seletivos, oferecemos mentorias, cursos extensivos e intensivos, preparados pelos profissionais mais qualificados. Também conte com nossos conteúdos gratuitos, assim como notícias sobre provas, gabaritos e editais, para não perder nenhuma oportunidade.

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
Ana KarolineBittencourt Alves

Ana Karoline Bittencourt Alves

Catarinense nascida em 1995, criada em Imbituba e apaixonada por uma praia. Formada pela Universidade Federal de Santa Catarina em 2018, com residência em Clínica Médica pela Universidade de São Paulo (USP-SP 2019-2021) e professora de Clínica na Medway. "Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua produção ou a sua construção. Quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender" - Paulo Freire.