Reumatologista ou ortopedista: semelhanças e diferenças

Ser reumatologista ou ortopedista: eis a questão! Hoje o nosso papo é pra ajudar você, que está vivendo esse dilema. Pra começar, que tal saber qual dessas duas especialidades é mais a sua cara? Dá uma olhada nesse teste vocacional, que ele já pode te apontar alguns caminhos! 

E pra você não ter mais questionamentos acerca do que escolher, a gente vai te contar tudinho sobre essas áreas! Afinal de contas, tanto a Reumatologia quanto a Ortopedia têm muitos pontos em comum, mas também possuem diferentes modos de atuação e em muitos momentos podem trabalhar em conjunto durante o tratamento. 

Reumatologista ou ortopedista: o que têm em comum?

Antes de abordar as particularidades de cada especialidade separadamente, vamos falar como funciona essa parceria. Os reumatologistas e ortopedistas atuam em equipe para tratar de casos de problemas muscoesqueléticos. Como o reumatologista é responsável pela parte clínica, ele pode precisar de auxílio do ortopedista, que é responsável pela parte cirúrgica, para analisar casos em que cirurgias sejam necessárias.

Agora, vamos por partes para entender a fundo as especificidades e o foco de atuação de cada especialidade. Afinal, qual profissional trata a fibromialgia, qual trata a artrite e outras tantas doenças: reumatologista ou ortopedista?

Bora começar pela Reumatologia.

Reumatologista ou ortopedista? Hoje vamos explicar as diferenças entre as duas áreas!

Reumatologista: principais doenças tratadas, mercado de trabalho e residência

O reumatologista e as principais doenças tratadas 

Esse especialista é o responsável por tratar das doenças que, em algum momento da sua evolução, passaram a afetar as articulações, os músculos, os tendões, os ligamentos, as bursas e outras partes do sistema locomotor. Até aí, reumatologista ou ortopedista ainda parecem a mesma coisa, né?

Mas a coisa muda de figura quando a gente começa a olhar mais de pertinho e descobre que no, caso de lesões traumáticas ou em quadros cirúrgicos, quem entra em ação é o ortopedista, como já dissemos. 

Apesar do termo genérico ser o mais conhecido entre a maioria das pessoas, as doenças reumatológicas envolvem mais de duzentas doenças inflamatórias, degenerativas, metabólicas, autoimunes e até genéticas! Uma coisa que é fácil de perceber nas doenças tratadas pelo reumatologista é a presença de inflamação e dor, como os principais sinais e sintomas — daquelas que limitam a qualidade de vida dos pacientes e que podem levar a deformidades e a limitações se não forem tratadas adequadamente. 

Uma doença reumatológica bem conhecida e mais comum na população brasileira é a osteoartrite: ela causa o desgaste das articulações do corpo. E não é só coisa de idoso não! Muitos jovens podem sofrer dessa enfermidade!

Outra doença bem comum tratada por esse especialista é a fibromialgia, que provoca uma dor crônica e difusa que afeta mais as mulheres, mas ainda não teve sua causa identificada. O que se sabe é que sintomas como cansaço, sono não reparador, alterações de memória e atenção, ansiedade, depressão são os mais relatados.

O trabalho do reumatologista é determinar, a partir do diagnóstico feito, o melhor tratamento. Em alguns casos, a cirurgia é indicada e aí outros especialistas participam do processo, como os ortopedistas. Nas doenças autoimunes, os pacientes podem precisar de medicação para o controle do sistema imunológico. Já os desgastes e doenças degenerativas costumam ser tratados com terapia física, que engloba fisioterapia, acupuntura, terapia ocupacional, infiltrações e exercícios funcionais. 

Reumatologia e mercado de trabalho 

Grande parte do trabalho se dá mesmo é no consultório ou nos ambulatórios dos hospitais. E, como a gente está falando de doenças crônicas, os pacientes costumam retornar sempre ao mesmo especialista, o que mantém sua agenda cheia já que o forte desse relacionamento médico-paciente é a confiança. E com o aumento das atividades físicas praticadas pelas pessoas atualmente, também tem havido aumento na procura por esse especialista. 

Pra quem busca oportunidades nos grandes hospitais, trabalho não falta! O que falta são especialistas na área que atuem no sistema público. De acordo com um levantamento feito pelo site Salário.com.br, a renda média bruta de um reumatologista no Brasil é de R$ 6.710,91 para uma jornada de trabalho de 22 horas semanais.

A residência médica em Reumatologia 

Pra se tornar um especialista em Reumatologia é preciso estudar bastante, pois é exigida, como pré-requisito, a residência em clínica médica com duração de dois anos, para depois o médico cursar os dois anos da residência médica em Reumatologia

Das 60 horas de estudos semanais, o residente vai ter em média, 50% em atividades ambulatoriais e os outros 50% em unidades de internação e interconsulta, medicina física e reabilitação, estágios complementares em Ortopedia, Reumatologia Pediátrica e laboratório. 

E como não há ainda subespecialização em Reumatologia, é comum que muitos médicos escolham a carreira acadêmica, buscando na pós-graduação, no mestrado e no doutorado aprofundar seus conhecimentos nas doenças reumatológicas. 

Entendeu um pouco mais do reumatologista? Então chegou a hora de falarmos do ortopedista!

Ortopedista: principais doenças tratadas, mercado de trabalho e residência

O ortopedista e as principais doenças tratadas 

A gente já falou sobre quais são as doenças que o reumato cuida, né? Mas é muito comum que as pessoas tenham dúvidas sobre qual especialista consultar, se o ideal seria de fato o ortopedista, um reumatologista, um traumatologista… É importante saber que cada um desses profissionais trabalha na prevenção e tratamento de doenças e condições diferentes do sistema locomotor e, por isso, é interessante entender os problemas tratados por cada um deles a fim de iniciar o tratamento correto o mais rápido possível.

Mas, de maneira sucinta, doenças e lesões que afetam o sistema musculoesquelético recebem atenção desse especialista. Os tratamentos da Ortopedia são destinados para pessoas que apresentam problemas congênitos como malformações, lesões relacionadas ao trauma, fraturas, as mais diversas disfunções no aparelho locomotor

Diferentemente dos reumatologistas, os ortopedistas podem ser especializados em partes específicas do corpo: há aqueles que cuidam das mãos e punho, por exemplo, tratam problemas como dedo em gatilho, síndrome do canal cárpico, dedo em botoeira, além de fraturas, artrose, tendinites e outros.

As enfermidades mais usuais nos consultórios dos médicos ortopedistas, são: lombalgia, hérnia de disco, artrose em idosos, bursite, lesões dos meniscos e ruptura de ligamentos nos praticantes de esportes, fratura do colo femoral, entorses,” joanete”, síndrome do túnel do carpo, fasceíte plantar e outras.

Também é muito comum que o profissional em Ortopedia atue em conjunto com outros, como o fisioterapeuta, para garantir melhores resultados, potencializar ações e proporcionar um tratamento mais completo. Quer saber mais? Dá uma olhada no nosso blogpost sobre o Ortopedista Esportivo

Ortopedia e mercado de trabalho 

O mercado de trabalho para o especialista em Ortopedia e Traumatologia é amplo e está em grande expansão, principalmente por conta do envelhecimento populacional e do aumento expressivo das práticas esportivas por pessoas de todas as idades que buscam mais qualidade de vida e saúde. Esse público busca com frequência os consultórios e as clínicas especializadas em Ortopedia e Traumatologia para cuidar de lesões ou buscar acompanhamento.

Além disso, o grande número de acidentes automobilísticos nas rodovias e centros urbanos também tornam o papel do ortopedista essencial nas emergências e prontos-socorros dos hospitais públicos e particulares. 

E se você quer saber sobre o retorno financeiro dessa especialidade, de acordo com o site vagas.com.br, a média salarial para médico Ortopedista no Brasil é de R$ 7.955,00. Mas a gente também sabe quanto ganha um ortopedista e um reumatologista lá fora! Ficou com a pulga atrás da orelha, né? Então, confere aqui no nosso artigo sobre quanto ganha um médico nos Estados Unidos

A residência médica em Ortopedia 

A residência médica em Ortopedia e Traumatologia é de acesso direto, ou seja, não há a necessidade de ter concluído nenhuma outra residência anteriormente, e dura 3 anos, nos quais o treinamento em serviço é a tônica da especialização. 

E são muitas as possibilidades de subespecialização: coluna vertebral, ombro e cotovelo, mão, quadril, joelho, tornozelo e pé, pediátrico, trauma, onco-ortopedia, osteo-metabólica, além de haver a possibilidade de atender tanto crianças, adolescentes e jovens quanto adultos e idosos, de ambos os sexos.

Se esse assunto faz seu coração bater mais rápido, não deixe de conferir os artigos que gente fez contando tudo sobre a residência médica em Ortopedia.na Unifesp e sobre as instituições mais buscadas para fazer a residência médica em Ortopedia em São Paulo

Apesar de terem algumas tarefas similares, reumatologista ou ortopedista tratam problemas diferentes

E aí, deu pra pegar as diferenças entre reumatologista ou ortopedista?

A gente viu que, embora seja possível um reumatologista ou ortopedista tratarem certos tipos de problema em comum, como a artrose, essas duas especialidades médicas possuem as suas diferenças. E aí? Curtiu? 

Já está pronto para a prova de residência em Ortopedia e Traumatologia? Ou quer mesmo é a residência médica em Reumatologia? Em ambos os casos, saiba que ainda dá tempo de se preparar e realizar seu maior sonho.

Se você vai começar a se preparar para encarar a prova de residência médica, sugiro dar uma olhada no nosso e-book gratuito Os 15 bloqueios que te impedem de ser aprovado na residência para já começar com o pé direito, já vencendo os bloqueios mentais que atrapalham seus estudos e te impedem de ser aprovado na residência médica dos seus sonhos!

Não dá mole não! Você também pode estudar agora com a gente no Extensivo São Paulo – nosso curso que rola ao longo do ano inteiro com videoaulas sobre os temas que você precisa saber e um app com milhares de questões comentadas. Além disso, ao se matricular, você ganha o Intensivo como bônus a partir do meio do ano! As aulas já começaram! Não perde mais tempo! Corre que ainda dá tempo de se inscrever. Bora pra cima! 

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
AlexandreRemor

Alexandre Remor

Nascido em 1991, em Florianópolis, formado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e com Residência em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da FMUSP (HC-FMUSP) e Residência em Administração em Saúde no Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Fanático por novos aprendizados, empreendedorismo e administração.