Carregando

Publicidade médica: o que um médico NÃO pode fazer para divulgar seu trabalho?

Todo mundo sabe que, para vender mais e fechar negócios, qualquer estabelecimento precisa de divulgação. Na Medicina, isso não é diferente: é fundamental investir em publicidade médica para conquistar mais pacientes e mostrar sua experiência. Mas existem algumas regras para que isso seja feito da maneira correta.

O marketing para médicos é regulamentado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). Há um documento completo e detalhado sobre as práticas que são ou não permitidas para essa finalidade. Por aqui, a gente vai mostrar apenas as principais, mas vale a pena conferir o conteúdo todo, combinado?

Então, vamos lá! A seguir, a gente fala um pouco mais sobre o que um médico NÃO pode fazer para divulgar seu trabalho e por quê.

Publicidade médica: confira um que médico NÃO pode fazer para divulgar o seu trabalho!
Publicidade médica: confira um que médico NÃO pode fazer para divulgar o seu trabalho!

O que um médico NÃO pode fazer para divulgar seu trabalho?

Sim, essa lista pode soar um pouco óbvia. Porém, acredite: alguns profissionais utilizam a publicidade médica para fazer um monte de coisas erradas. Não se junte a esse time!

Preze pelo seu profissionalismo e pela qualidade de vida de seus pacientes. Fique de olho no que um médico NÃO pode fazer para divulgar seu trabalho!

Prometer resultados aos pacientes e seus parentes

Na Medicina, é muito difícil dar certeza de algo irá, definitivamente, funcionar. Cada caso é um caso, cada paciente responde de um jeito diferente ao mesmo incentivo, procedimento, medicamento, tratamento e assim por diante.

Se mostrar confiante na proposta é uma coisa, e demonstrar apoio é algo diferente de insinuação. Esta última, por sua vez, também caracteriza uma promessa, que pode se constituir como falsa.

Portanto, nada de prometer aos pacientes e seus parentes a certeza de algum tipo de intervenção. Além de causar frustrações, isso atrapalha a recuperação, mexe com o psicológico das pessoas e mancha a sua reputação.

Seja sempre sincero, honesto e passe explicações pontuais e fáceis de entender para o paciente. Assim, você minimiza dúvidas, traz mais segurança e, principalmente, tem a cooperação do indivíduo para que o tratamento se desenrole da melhor maneira possível.

Propagar informações científicas que não tenham como base estudos clínicos

Jamais propague informações científicas que não tenham como base estudos clínicos. Boa parte dos pacientes não sabe diferenciar a origem da informação repassada de imediato, então, é essencial ter transparência e honestidade em cada conversa.

Com um simples clique na internet, o médico pode ser facilmente desmascarado. E ele não pode conduzir qualquer tratamento utilizando esse tipo de embasamento.

No entanto, essa orientação não é válida somente para atendimentos e consultas. Ela vale também para eventos, palestras e outros tipos de interação que o profissional tiver dentro da comunidade médica.

Anunciar especialidades para as quais não apresenta título certificado

No marketing para médicos, é permitido divulgar títulos acadêmicos em cartões, materiais de papelaria e qualquer tipo de item promocional. A especialidade divulgada, contudo, deve estar devidamente registrada no CRM, e demais títulos devem ter a ver com a área de atuação do profissional.

Sendo assim, todas as informações catalogadas para clínicas e hospitais precisam se limitar a esses dados. O ideal e mais seguro é que apenas o nome e o CRM do médico circulem por essas vias.

O CFM ainda veta o anúncio de pós-graduações realizadas para capacitação pedagógica, mesmo que elas tenham origem em instituições oficiais e credenciadas. Só há liberação quando o curso está relacionado à especialidade e área de atuação englobadas no Conselho.

É indispensável, ainda, ter cuidado na divulgação dessa titulação quando o profissional dá entrevistas ou aparece de alguma forma na mídia. Nessas ocasiões, ele também não pode divulgar os procedimentos e tratamentos que realiza, mesmo que sejam aprovados pela associação científica.

Oferecer serviços por meio de consórcios

Não é permitido oferecer qualquer tipo de serviço via consórcio. A procura do paciente pela consulta deve sempre ser espontânea, de acordo com sua necessidade ou interesse no momento.

Nesse contexto, a consulta médica não pode ser tida como um produto. É fundamental priorizar as particularidades de cada caso e conduzir as orientações com total seriedade.

Para completar, o médico não pode ofertar ou sortear atendimentos. É por esse motivo, também, que nenhum profissional, seja de que especialidade for, deve divulgar preços de procedimentos e formas de pagamento.

Abordar assuntos médicos de maneira sensacionalista

O compromisso com a informação é outra obrigação da população médica. Dessa maneira, todos os assuntos médicos devem ser abordados de maneira objetiva e esclarecedora, deixando qualquer tipo de sensacionalismo para trás.

Inclusive, postar fotos de antes e depois de pacientes é considerado um tipo de sensacionalismo, sabia? Não importa se o paciente deu autorização para a divulgação da imagem. Essa ação é um jeito de promover condições que nem sempre serão iguais para todos os pacientes.

Além disso, expressões como “o melhor”, “o mais eficiente” e “resultados garantidos” também são consideradas sensacionalistas. E, dessa maneira, são expressamente proibidas de constar em qualquer material midiático do médico.

O CFM sustenta a proibição para preservar médicos de possíveis processos. Isso porque a informação sensacionalista pode motivar terceiros a pedir indenizações por danos decorrentes de abusos.

Pronto, agora você já sabe mais sobre publicidade médica e marketing para médicos!

Pronto! Agora você entende melhor o que não fazer dentro do marketing para médicos. E pode, enfim, iniciar a sua carreira pautada na ética e na excelência. Esse é, sem dúvida alguma, o melhor caminho para o sucesso!

E dá para se preparar ainda mais para a vida prática da Medicina. Por aqui, a gente já contou quais são as ilusões de um médico recém-formado, quais as melhores oportunidades de trabalho para quem acabou de sair da faculdade e os melhores aplicativos para o profissional se manter atualizado.

Ou seja, não quer dizer que você não possa divulgar o que faz ou não deve continuar a se aperfeiçoar. Pelo contrário, o mais indicado é fazer isso sempre, mas dentro das determinações da CFM, e usando o máximo de seu bom senso e experiência médica.

E depois dessas dicas de publicidade médica, que tal continuar a focar nos estudos para a residência? Bora para a Academia Medway acessar materiais exclusivos que vão te guiar ao longo dessa jornada.

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoanaRezende

Joana Rezende

Carioca da gema, nasceu em 93 e formou-se Pediatra pela UFRJ em 2019. No mesmo ano, prestou novo concurso de Residência Médica e foi aprovada em Neurologia no HCFMUSP, porém, não ingressou. Acredita firmemente que a vida não tem só um caminho certo e, por isso, desde então trabalha com suas duas grandes paixões: o ensino e a medicina.