Carregando

Quantas horas um estudante de Medicina estuda por dia?

Você já parou para calcular quantas horas um estudante de Medicina estuda por dia? A rotina intensa de dedicação começa na graduação, mas ainda dura alguns anos até que a vida profissional comece de verdade. Só que isso não é motivo para desanimar ou achar que é muito difícil dar conta do recado!

Pelo contrário, manter um bom ritmo ajuda a vencer muitos desafios. Muito mais do que ter boas notas, estudar bastante ajuda a adquirir confiança para as provas, inclusive de residência médica, e também para a prática médica, que todo mundo sabe que é de grande responsabilidade. A carga horária do curso já é voltada para este fim, mas vale pensar em seus objetivos para se preparar bem.

Uma imagem da nossa Masterclass no texto sobre modelo de cronograma de estudos para residência médica

Mas antes de continuar, tenho um convite bem interessante para te fazer! É o seguinte: você é um daqueles que não está conseguindo alavancar a sua nota nas provas de residência médica? Calma! Essa é a situação de bastante gente. Por isso, entre os dias 17 e 23/01 você pode acompanhar a nossa Masterclass de como passar na residência médica. Além de 3 aulas, você ainda conta com plantões de dúvidas para sentir e testar a Medway Mentoria. Com isso, você dará os primeiros passos para a sua evolução até chegar aos 80% de aproveitamento na Residência. Não vai perder, certo? Então se inscreva agora mesmo por aqui!

Agora, que tal conferir mais algumas dicas sobre a carga horária de Medicina? Assim, você consegue se organizar, não sobrecarrega o dia a dia e garante um bom desempenho ao longo do curso e na residência. Vamos lá!

Como é a carga horária para o curso de Medicina

Para saber quantas horas um estudante de Medicina estuda por dia, é preciso dar uma olhada na carga horária prevista para o curso. Ele acontece em período integral, então não há muito espaço para que o aluno trabalhe ao mesmo tempo em que estuda, por exemplo.

Em compensação, a dedicação exclusiva é o que permite uma preparação adequada para a profissão. Veja só como o curso se divide!

Ciclo básico (1º e 2º anos)

Os dois primeiros anos do curso envolvem matérias básicas, voltadas para áreas gerais que serão desenvolvidas mais para a frente. A carga teórica é maior e há bastante conteúdo para refletir e estudar, o que é essencial para ter uma base sólida e se dar bem nas próximas etapas do curso.

Ciclo clínico (3º e 4º anos)

No ciclo clínico, por sua vez, o aluno começa a se aprofundar em disciplinas de atendimento, diagnóstico e cirurgia. Têm aulas de semiologia e propedêutica, que auxiliam na prática de exames físicos em pacientes, realizados em hospitais associados à universidade. Também começa a participar de simulações, para entender o funcionamento de aparelhos e acessórios essenciais à prática médica.

Internato (5º e 6º anos)

Nos dois últimos anos, os estudantes entram para o internato, ou seja, atuam diretamente em hospitais. As atividades incluem atendimento de pacientes ambulatoriais, passagem de enfermarias, realização de pequenos procedimentos e até mesmo instrumentação cirúrgica. São anos bem práticos e intensos, que exigem foco total e que são essenciais para quem deseja ter um bom desempenho nas provas de residência médica.

Carga horária prevista pelo MEC

A carga horária prevista pelo MEC para a graduação em Medicina é de, pelo menos, 7.200 horas. Elas são distribuídas ao longo de 6 anos. No entanto, algumas universidades oferecem programas mais extensos, que contam com 8 ou 9 mil horas.

A faculdade de Medicina acaba, mas os estudos não

Nada de pensar que, depois de se formar, você vai parar de estudar. Muito pelo contrário: a depender de seus planos profissionais, você ainda tem que focar em outros projetos, como é o caso da residência médica.

Quer algumas dicas de quem já passou por essa experiência? Então vale a pena tirar um tempinho para ouvir nosso podcast Projeto R1, que entrevistou a Cassandra Bastos, estudante de Medicina que conseguiu se virar muito bem para terminar a graduação com sucesso e mergulhar na residência médica. A experiência dela com certeza pode se aplicar para você, então inspire-se!

Depois que você entrar na residência, vale lembrar que a prática também exige estudo. Você estará imerso no ambiente hospitalar por 60 horas semanais, pelo menos, durante 2 anos. Ou mais, caso decida acrescentar mais anos para uma subespecialidade.

As aulas teóricas acontecerão com menor frequência, mas para o seu dia a dia, revisar conteúdo e se manter atualizado sobre novas técnicas e tecnologias será fundamental para se destacar no trabalho. E depois que essa experiência terminar, é bom reforçar que médicos renomados continuam a se aperfeiçoar.

Sendo assim, os estudos nunca param! Você terá mais mobilidade para se organizar quando tiver uma atuação consolidada, seja na rede pública ou particular, seja na pesquisa ou mesmo à frente de seu próprio negócio, o que facilita bastante. Mas se aprimorar será sempre essencial para se destacar no mercado.

Estude para a graduação enquanto se prepara para a residência

Como você viu, a residência médica é uma fase muito cobiçada pela maioria dos estudantes de Medicina. Nem é preciso lembrar que as provas do processo seletivo são superconcorridas, não é mesmo? Ainda mais nas instituições mais renomadas do país.

Geralmente, o candidato passa por uma prova teórica, uma prova prática e uma entrevista para análise de currículo. As duas primeiras fases exigem muita preparação, para que você consiga a pontuação que permita o ingresso no programa de residência.

Então, é importante conciliar os estudos dos anos finais de graduação com a preparação para a residência médica. Não deixe para começar na última hora: a partir do quinto ano, você pode conciliar o internato com estudos teóricos e práticos voltados para as exigências da instituição de sua escolha na residência.

Afinal, quantas horas um estudante de Medicina estuda por dia?

Não há obrigatoriedade sobre quantas horas um estudante de Medicina estuda por dia. Cada ciclo da graduação conta com atividades diferentes, que incluem aulas, trabalhos, simulados, atividades práticas, provas, monitorias e um grande volume de conteúdo.

A carga horária básica do curso você já conhece, e ela será cumprida de acordo com a proposta da sua universidade. Em paralelo, você precisa definir a sua rotina de estudos para cobrir as disciplinas, tirar suas dúvidas e fazer exercícios.

Sendo assim, descubra o que funciona melhor para seu caso: grupos de estudos, estudar individualmente, fazer um cursinho preparatório para a residência médica, ou um pouco de cada um para ter uma visão ampla do que a graduação oferece.

E sabe o que mais pode ajudar? Baixar o app da Medway! Independentemente de quantas horas um estudante de Medicina estuda por dia, essa é uma ferramenta que ajuda a estudar por questões de residência e reforçar o conteúdo na graduação, já que é possível usar filtros por temas. Tente aí, você não vai se arrepender!

E se os estudos para a residência já estão no seu radar, que tal continuar conhecendo mais o assunto com o nosso e-book 15 bloqueios que te impedem de ser aprovado na residência médica?

Bora lá!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
AlexandreRemor

Alexandre Remor

Nascido em 1991, em Florianópolis, formado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e com Residência em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da FMUSP (HC-FMUSP) e Residência em Administração em Saúde no Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Fanático por novos aprendizados, empreendedorismo e administração.