Carregando

5 dicas para melhorar a prática do médico de atendimento de emergência

O médico de atendimento de emergência costuma enfrentar as situações mais caóticas e surpreendentes da Medicina. Em seus plantões, recebe pacientes que acabaram de sofrer acidentes ou algum mal súbito e que precisam de atendimento imediato. Alguns casos são extremamente graves e críticos, o que torna a intervenção médica ainda mais significativa.

Não é à toa que esses profissionais são conhecidos como aqueles que salvam vidas. Daí a importância, inclusive, de reforçarem e aperfeiçoarem constantemente a prática. Afinal, novas situações surgem a cada dia e é fundamental estar preparado para enfrentá-las. Sem contar que proporcionar conforto e segurança ao paciente é uma forma de ajudar na recuperação futura.

Então, que tal conferir algumas dicas que separamos para você que decidiu seguir essa carreira? Continue a leitura deste artigo e aproveite ao máximo o conteúdo para se qualificar cada vez mais!

1. Descubra o que é importante para dar plantão em um lugar novo

O médico de atendimento de emergência está acostumado a dar plantões. Essa, por si só, já é uma tarefa que exige muita dedicação, resiliência, concentração e paciência. Mas, além disso, alguns lugares exigem um pouco mais do profissional.

5 dicas para aperfeiçoar a prática do médico de atendimento de emergência: confira
Confira as 5 dicas para aperfeiçoar a prática do médico de atendimento de emergência

Bicho, vai por mim: sempre, sempre, SEMPRE antes de aceitar qualquer plantão que te passem (aquele teu amigo que manda no grupo da turma “alguém a fim de dar um plantãozinho tranquilo na UTI?”), tem alguns pontos que você tem que checar antes de sair pegando tudo. É fundamental entender o que realmente vale a pena levar em conta na hora da decisão. Nós podemos ajudar com um material completo gratuito, que mostra tudo o que você precisa saber antes de dar plantão em um lugar novo.

2. Domine a intubação orotraqueal!

Durante a pandemia do novo coronavírus, todos nós que atendemos em PS precisamos nos aperfeiçoar em determinadas práticas para salvar seus pacientes. Uma delas é bastante temida por muita gente: a intubação orotraqueal. Delicada, a prática é motivo de insegurança para alguns médicos e é de suma importância deixar esse sentimento de lado o quanto antes. Afinal de contas, ela ficou badalada agora com a pandemia, mas a gente sabe que a IOT é crucial em quase todas as situações de insuficiência respiratória!

Estudar é preciso e você pode complementar a formação que você já tem com alguns conhecimentos que melhoram o procedimento. Tanto para você, médico, quanto para o próprio paciente. Por isso, preparamos um guia rápido da intubação orotraqueal que tira todas as suas dúvidas e ajuda você a se tornar um profissional ainda mais determinado e qualificado. Além disso, no nosso canal do Youtube, também há um vídeo que pode te auxiliar em relação a esse assunto. Confira:

3. Tenha sempre a postos umbom guia de prescrições voltado para o médico de atendimento de emergência

Saber quais prescrições são as corretas para cada caso emergencial é essencial para prestar atendimentos satisfatórios. Mas em meio a uma situação séria, muitas vezes o médico de atendimento de emergência fica alarmado para tomar a decisão correta. Além de ter que se preocupar com uma série de detalhes minimamente calculados, como dosagens e ordem de procedimentos.

O ideal é que o profissional se mantenha preparado para prescrever corretamente, e um bom guia, como o nosso, pode te ajudar nesse caminho! Com ele, você entenderá melhor como proceder caso o paciente pare ou choque, a maneira certa para manejar uma convulsão, como administrar emergências hipertensivas, quais doses ministrar em caso de intubação e como enfrentar outras questões mais essenciais para as diversas situações com as quais você com certeza vai se deparar.

4. Desmistifique o eletrocardiograma

O eletrocardiograma é um exame muito recorrente para o médico de atendimento de emergência. No entanto, muita gente considera sua interpretação um tanto quanto complexa — o que não é mentira, realmente. Mas não é algo que você precise ter dificuldades ou inseguranças em realizar e analisar. Até porque não dá para chegar à conclusão errada e conduzir o paciente de um jeito equivocado, certo? Então, chega junto que a gente te ajuda!

Ainda tem dúvidas sobre como desvendar o ECG? Pode contar com a gente nessa missão. Temos um material que explica exatamente como analisar o exame, passando por todas as etapas mais importantes: desde a identificação  do ritmo e condições técnicas do exame, até a interpretação do traçado eletrocardiográfico de análise sistemática.

5. Continue a se especializar com cursos

A Medicina de Emergência é uma área que demanda especialização e atualização — e você já deve saber disso. Por isso, não se engane, não: a sala de emergência nunca permanece a mesma. Você sempre terá novos casos para cuidar, novos equipamentos para aprender a usar e novos exames e procedimentos para aplicar. Além daqueles de praxe, é preciso treinar muito.

Para manter o conhecimento em dia, a melhor opção é investir em cursos na área. Um ótimo exemplo disso é o PSMedway, que traz aulas teóricas, conteúdo interativo e simulações realísticas para que você aprenda a conduzir gravidades dentro do departamento de emergência com sabedoria e precisão. É um curso de curta duração, mas muito completo e que só tem a acrescentar na sua atuação.

E uma dica extra para qualquer médico de atendimento de emergência aí: invista em uma residência médica!

A residência médica em Medicina de Emergência é uma forma de aprendizado ainda mais concreta para a sua atuação. Ela tem a duração de três anos, com vários tipos de estágios e práticas diferentes para que o médico consiga visualizar realmente como será o seu dia a dia em plantões.

A rotina é puxada, mas garante uma experiência ampla para o estudante. Se você optar por essa alternativa, ainda pode entrar em uma instituição de renome, sob tutela de excelentes médicos com uma carga de conhecimento enorme para compartilhar. Não é à toa que muitos residentes costumam falar que os anos de residência fazem com que eles se transformem não apenas como profissionais, mas também como pessoas.

Para completar, essa é considerada como uma especialidade nova. Ou seja, o mercado de trabalho tem uma grande necessidade de profissionais qualificados, o que contribui bastante para seus rendimentos e possibilidades de atuação.

E então, gostou dessas dicas especiais para um médico de atendimento de emergência? Como você pode ver, essa é uma área que requer muito estudo e muita dedicação, mas estamos aqui para ajudar você a construir uma carreira profissional de muito sucesso.

Inclusive, temos uma parte do nosso blog destinada somente para a Medicina de Emergência. Acesse e não perca nada que possa te ajudar na emergência. Bora lá!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram

É médico e quer contribuir para o blog da Medway?

Cadastre-se
JoãoVitor

João Vitor

Capixaba, nascido em 90. Graduado pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e com formação em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HC-FMUSP) e Administração em Saúde pelo Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Apaixonado por aprender e ensinar.