Carregando

Residência médica no Hospital Regional de Cotia pelo SUS-SP

E aí, moçada? Como andam as preparações de vocês para a residência médica? A gente espera que todo mundo esteja afiado no conteúdo! Mas vale lembrar que a preparação vai muito além disso: é preciso pensar também na escolha da especialidade e da instituição na qual você quer ter essa experiência. Por isso, hoje a gente vai falar sobre a residência médica no Hospital Regional de Cotia pelo SUS-SP.

Esse é um dos principais hospitais do sudoeste de São Paulo. A cidade está localizada entre a capital e o interior, e é uma ótima opção para quem quer iniciar a prática médica no estado.

Então, bora lá descobrir um pouco mais sobre as oportunidades da instituição e o processo seletivo do SUS? Vem com a gente nessa!

História

A história do Hospital Regional de Cotia, também conhecido como HRC, começa em 1968. Nessa época, ele ainda se apresentava como uma entidade filantrópica. Mais tarde, em 1975, se transformou efetivamente em um centro hospitalar, até então o único a oferecer assistência legal e 54 leitos localizados na região.

Com o passar do tempo, o foco da instituição se voltou para o atendimento pelo Sistema Único de Saúde, o SUS. Por esse motivo, o primeiro programa de residência médica do Hospital Regional de Cotia foi na área de Medicina Geral Comunitária.

A equipe do Hospital Regional de Cotia é formada por mais de 700 pessoas, entre médicos, residentes, profissionais da saúde, administrativo e gestão. Por alguns anos, ele foi gerenciado pela Prefeitura de Cotia e depois pelo INASA – Instituto de Atenção à Saúde.

Mais tarde, foi estadualizado oficialmente. Portanto, quem gerencia todos os serviços da instituição é o Serviço Social da Construção Civil do Estado de São Paulo – Seconci-SP.

O HRC é conhecido por seu trabalho e dedicação em prol de serviços humanizados e de qualidade para a comunidade. Além disso, atua sempre com foco no aprimoramento do SUS, prestando assistência na gestão de serviços públicos de saúde.

Números e estrutura

Em 2021, o Hospital Regional de Cotia registrou mais de 16 mil atendimentos de urgência e emergência e 6 mil consultas ambulatoriais. E, somente no primeiro mês do ano, realizou 800 partos.

Acumula, ainda, uma série de certificações e premiações, como o Prêmio Excelência na saúde e o Selo de Ouro no Banco de Leite Humano. Hoje, o HRC também se destaca pelo aumento em seu número de leitos: são 148 destinados para internação de ambientes de ambulatório ou pronto-socorro.

O hospital também conta com sete unidades: Clínica Médica, Clínica Cirúrgica, Clínica Ortopédica, Neonatologia, Unidade de Terapia Intensiva, Pediatria e Alojamento Conjunto. Os quartos das enfermarias são coletivos, mas é possível isolar pacientes quando necessário.

Para completar, há ainda infraestrutura adequada para cirurgias eletivas, maternidade, hospital-dia e realização de exames. Além de Cotia, o hospital atende outros municípios do interior e também encaminhados da capital pelo SUS.

Residência médica no Hospital Regional de Cotia

O programa de residência no Hospital Regional de Cotia partiu de uma iniciativa da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. Foi implantado em 1985, com o objetivo de trazer mais qualidade e apoio para o atendimento da instituição pelo SUS. Contudo, enfrentou uma longa pausa, sendo retomado somente em 2014.

A partir desse momento, outras especialidades passaram a ser oferecidas. Um dos incentivos para que isso acontecesse foi o fato de que o HRC foi acreditado com excelência nível 3 pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), por ser referência de atendimento para Cotia e Vargem Grande Paulista.

Todos os residentes do hospital atuam sob a orientação de profissionais qualificados e experientes, que prezam sempre pela ética na prestação de serviços de saúde. Além disso, são incentivados a desenvolverem pesquisas e trabalhos científicos em paralelo ao exercício da residência.

Entre as especialidades oferecidas pela instituição no último edital do SUS-SP estão as seguintes:

  • Neonatologia: 1 vaga;
  • Clínica Médica: 1 vaga;
  • Área Cirurgia Básica: 1 vaga;
  • Cirurgia Geral: 1 vaga;
  • Pediatria: 2 vagas;
  • Obstetrícia e Ginecologia: 1 vaga;
  • Anestesiologia: 2 vagas;
  • Ortopedia e Traumatologia: 2 vagas.

Ao longo do programa de residência do HRC, seja qual for a especialidade escolhida, o residente aprimora suas habilidades técnicas, compreende a importância de ações de saúde de caráter preventivo, entende a importância da integração do médico com sua equipe e tem sua capacidade crítica de atividade médica constantemente estimulada.

Como um todo, o HRC é considerado como um hospital que realmente apoia e presta apoio para que todos os residentes concluam sua jornada com sucesso.

Residência médica no Hospital Regional de Cotia: o processo seletivo do SUS-SP

Mas e aí, o que é preciso fazer para entrar para a residência no Hospital Regional de Cotia? Bem, como ele é um hospital vinculado ao Sistema Único de Saúde, é preciso passar pelo processo seletivo estabelecido pelo SUS-SP.

Ele é um pouquinho diferente do que a gente está acostumado a ver em outras instituições, então é fundamental ficar de olho nos detalhes para não perder nada por bobeira. Veja só como tudo funciona!

Como é a prova

Nada de fases: a prova do SUS-SP é de etapa única! Isso significa que você terá que passar por uma prova com 100 questões de múltipla escolha, com alternativas de A a D, que falam sobre as cinco áreas básicas da Medicina.

Residência médica no Hospital Regional de Cotia
Saiba mais sobre a prova do SUS-SP

Em geral, ela é agendada para um domingo, na parte da manhã, em meados de dezembro. Tem a duração de 4 horas, e você precisa ficar na sala por pelo menos 3 horas, mesmo que termine antes disso.

A prova do SUS-SP é considerada rápida, mas não se engane: de fácil ela não tem nada. É super objetiva e tem questões diretas, que não geram muitas dúvidas e devem ser respondidas de primeira. Quem consegue guardar muitas coisas na cabeça costuma se dar muito bem nela. 

Além disso, essa é uma prova considerada um tanto quanto previsível. Portanto, aposte no estudo por questões de provas de edições antigas para entender sua estrutura e o tipo de conteúdo que é cobrado com maior frequência.

Por fim, aquela dica que todo mundo sabe, porém é importante reforçar: leia o edital com muita atenção! Fique ligado na divulgação dos locais de prova, nas orientações em relação à pandemia, datas, horários e outras informações pertinentes para que você se saia bem no dia da prova.

Concorrência por especialidade em 2021

E como anda a concorrência por especialidade no SUS-SP? Pelas vagas oferecidas no último ano, é possível analisar o que possivelmente vai acontecer agora. É claro que muitas surpresas podem ocorrer, mas é interessante acompanhar de perto a relação candidato/vaga independentemente de qualquer coisa.

Em 2021, a especialidade mais disputada foi a de Neurologia, com 40,7 candidatos por vaga. Logo em seguida vem a Dermatologia, com 29 candidatos por vaga, e a Oftalmologia, com 30,5. Lá em 2020, esse top 3 se manteve, então há chances de que isso se mantenha agora.

Outras especialidades que se destacam são a Cirurgia Geral, com 26 candidatos por vaga, a Otorrinolaringologia, com 23,6 e a Psiquiatria, com 17,4. No fim da lista, com uma concorrência mais amena, a gente vê a Ortopedia e Traumatologia, com 4,9 candidatos por vaga, a Medicina de Família e Comunidade e a Medicina de Emergência, com 2,9, e a Medicina Nuclear, com 1,6.

Leilão de vagas do SUS

Para garantir a sua vaga no SUS-SP, é preciso participar de um leilão. Então, se você quer ter a chance de escolher a sua instituição de residência médica dos sonhos, precisa ter uma nota final alta.

Afinal, quanto maior ela for, mais chances você terá, porque a escolha depende diretamente da ordem de classificação por especialidade. Pouco antes do dia do leilão, uma classificação de corte de cada especialidade é divulgada.

Então, todos os candidatos que se encontram acima dessa classificação e querem uma vaga podem comparecer ao leilão. Novamente, os mais bem colocados são os que escolhem primeiro, certo?

Esse leilão acontece presencialmente, em um local a ser divulgado ainda. E vale lembrar que, na época em que ele acontece, boa parte dos resultados de outras instituições já foram divulgados.

Com isso, vários candidatos desistem do leilão, o que faz com que a lista de cada especialidade rode bastante. A partir dela, você terá uma ideia da concorrência para cada instituição e saberá exatamente o que te espera.

Sobre a residência médica no Hospital Regional de Cotia, é isso!

Pronto! Você já está por dentro do que rola no processo seletivo do SUS e pode direcionar seus estudos para abocanhar uma vaga de residência no Hospital Regional de Cotia. Agora, a dica é se preparar também para saber o que te espera em relação aos detalhes da prova, certo?

Então, corra para a Academia Medway! Por lá você encontra uma série de materiais gratuitos para te ajudar nessa missão, como é o caso do Guia Estatístico do SUS-SP e o Guia Definitivo do SUS-SP.Outra dica quentinha: que tal investir em um de nossos Extensivos recém-lançados? Dá para escolher entre o Extensivo São Paulo, com 1 ano de preparação para as provas de SP, o Extensivo Programado, com 4 cursos em 1, ou o Extensivo Base, para quem ainda está no 5º ano, mas já quer começar a se preparar. Bora lá?

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
DjonMachado

Djon Machado

Catarinense e médico desde 2015, Djon é formado pela UFSC, fez residência em Clínica Médica na Unicamp e faz parte do time de Medicina Preventiva da Medway. É fissurado por didática e pela criação de novas formas de enxergar a medicina.