Carregando

Residências sem prova prática: elas existem em São Paulo?

Ei, já parou para pensar sobre a residência médica? Esse é um excelente momento para você pesquisar sobre as universidades, hospitais e entender tudo sobre as provas práticas que as instituições têm em seus processos seletivos. Agora é a hora de dar início à sua jornada de preparação para esse momento tão importante! Para te auxiliar nessa aventura, temos aqui muitas informações para que você possa viver esse sonho da residência.

As provas de residência médica não são nada fáceis! Além do conteúdo pesado, há muita concorrência. Pois, assim como você, muitos alunos de Medicina e médicos formados desejam ser especialistas. Mas, não se assuste! Não é uma missão impossível! Ao contrário, passar na prova de residência é um objetivo totalmente possível de se alcançar. Basta você estudar bastante e ter foco.

A chave para o sucesso é a organização do seu tempo e de todo o conteúdo que você estuda. Porém, muitos alunos ficam em dúvida se há ou não instituições que não exigem a prova prática de residência. Principalmente, no estado de São Paulo — que tem as melhores instituições do país.

Será que existem residências sem prova prática em São Paulo? Você quer saber mais sobre esse tema? Nós temos todas as respostas para solucionar essa sua dúvida! Então, continue a leitura para ver tudo o que você precisa saber! Vamos lá!

O que é a prova prática de residência?

A prova prática de residência, usualmente, é a segunda e última parte do processo seletivo. Na maioria das vezes, a sua aplicação é em conjunto com a prova teórica que é a primeira parte do sistema de avaliação. Em média, a prova prática costuma ter metade do valor total da soma das duas fases. É uma etapa muito complexa e que exige muito do médico. Por essas razões, há que se preparar para o que der e vier.

A finalidade da prova prática é avaliar a capacidade, o conhecimento e o modo de agir do candidato. Muitas competências cognitivas e manuais são avaliadas no decorrer da prova. Todos os detalhes são observados! Por isso, é essencial estar atento e ter o raciocínio lógico acelerado. Também o tempo é cronometrado e não pode ser extrapolado. É de suma importância ser ágil e preciso no decurso do exame.

Habitualmente, a prova é realizada nos hospitais das próprias universidades ou em centros de saúde escolhidos pelas instituições de ensino. É válido salientar que não são todos os hospitais que aplicam a prova de residência. Portanto, fique ligado para saber quais são os lugares que contam com essa etapa do concurso. É bom saber desde já quantas opções você tem e quais são as novidades.

Em geral, a prova prática é composta por estações que avaliam diversas competências médicas. Cada estação costuma durar no máximo cinco minutos. Seja rápido e certeiro quando estiver passando por elas! A prova prática pode contar ainda com uma etapa multimídia. Nessa parte, o médico vai encarar casos clínicos sequenciais.

Residências sem prova prática em SP

A esmagadora maioria das grandes instituições de São Paulo tem prova prática ou multimídia. É o método de avaliação mais tradicional que existe e as instituições renomadas apreciam muito a manutenção das tradições. Elas costumam manter os projetos e os sistemas que têm dado certo ao longo dos anos. Provavelmente, esse é um dos motivos pelos quais elas são tão requisitadas e bem ranqueadas.

Apesar disso, é legal que você mantenha a sua mente aberta para outras possibilidades. Existem muitos tipos de processos seletivos para a residência médica. Talvez, você se adeque até melhor com os tipos de prova que não atendem esse tradicionalismo. É interessantíssimo que você tenha uma visão holística dos acontecimentos! Ter a mente fechada pode te atrapalhar na conquista dos seus objetivos.

Como tudo na vida, para toda regra há uma exceção. Nesse caso, a exceção é o SUS-SP, porque em seu sistema seletivo para a residência médica não tem prova prática e, muito menos, avaliações multimídia. No entanto, isso não significa que o sistema de avaliação do SUS-SP é mais fácil ou inferior em comparação com as outras instituições que utilizam a prova prática como uma ferramenta de avaliação.

O SUS-SP é um processo seletivo muito bom e é bastante requisitado por médicos do Brasil e vários outros países. É uma oportunidade valiosa! O SUS-SP oferece muito conforto ao candidato, porque você tem comodidade de fazer a sua inscrição online e pode acompanhar o andamento da sua inscrição no site indicado pelo sistema. Portanto, prepare-se bem e não deixe de aproveitar essa chance única!

Como funciona o processo seletivo SUS-SP?

A prova de residência médica do sistema SUS-SP tem apenas uma fase. A prova é composta por perguntas de múltipla escolha e, também, por questões objetivas. É um dos processos seletivos com mais participantes e universidades colaboradoras do Brasil! Geralmente, conta com mais de doze mil candidatos e tem mais de cinquenta instituições de ensino filiadas ao SUS-SP.

É importante ressaltar que os médicos que se formaram em universidades do exterior podem realizar o exame. Porém, devem ter seu diploma revalidado! A Fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista (Vunesp) é a organizadora e gestora desse processo de seleção que conta com quase 800 vagas. Entretanto, não se esqueça de que durante a inscrição você necessita escolher a sua especialidade.

O processo seletivo SUS-SP conta com muitas especialidades médicas como:

  • mastologia;
  • endoscopia;
  • cirurgia de cabeça e pescoço;
  • hematologia/hemoterapia;
  • cancerologia clínica;
  • geriatria;
  • pré requisito em área cirúrgica básica;
  • cirurgia geral;
  • pediatria;
  • ecocardiografia;
  • eletrofisiologia clínica invasiva;
  • reabilitação e ergometria;
  • neurocirurgia;
  • oftalmologia;
  • otorrinolaringologia;
  • hemodinâmica;
  • cardiologia intervencionista;
  • transplante de medula óssea;
  • ginecologia e obstetrícia;
  • medicina da família e comunidade;
  • patologia;
  • cirurgia do aparelho digestivo;
  • cirurgia torácica;
  • cirurgia geral r3;
  • infectologia;
  • radiologia e diagnóstico por imagem;
  • anestesiologia;
  • cancerologia pediátrica;
  • neonatologia;
  • medicina intensiva pediátrica;
  • ortopedia e traumatologia;
  • psiquiatria;
  • radioterapia;
  • coloproctologia;
  • cirurgia vascular;
  • urologia;
  • neurologia;
  • medicina nuclear;
  • medicina paliativa;
  • cardiologia pediátrica;
  • medicina de emergência;
  • cancerologia cirúrgica;
  • medicina intensiva;
  • pediatria r3;
  • dermatologia;
  • medicina física e reabilitação;
  • cirurgia cardiovascular;
  • cirurgia plástica;
  • cardiologia;
  • endocrinologia;
  • pneumologia;
  • cirurgia pediátrica;
  • nefrologia.

Quem quer ser treineiro também pode fazer parte desse processo seletivo. Basta especificar essa categoria na hora que estiver se inscrevendo para a prova. Quem se inscreve para essa categoria faz a prova específica para tal finalidade. Logo, não concorre junto com as outras categorias. Sendo assim, no final dessa jornada, o médico vai receber a titularidade de treineiro.

Residências sem prova prática em 2020

Devido à pandemia, em 2020, a maioria dos processos seletivos de residência médica não teve uma segunda prova prática. Para evitar o contágio e a proliferação da doença, foi necessário modificar a forma de funcionamento do sistema de avaliação. Assim, alterando um pouco o método de avaliação.

Como já sabemos, as residências sem prova prática são tão boas e eficientes quanto as que têm prova prática. Portanto, para o aluno, não houve nenhum tipo de alteração negativa na rotina de estudos e preparação. Assim como o nível de dificuldade da prova permaneceu o mesmo.

Porém, em 2021, já temos visto muitas instituições retomando com essa avaliação como a USP, que vai contar com uma prova multimídia, e a USP-RP, que vai contar com prova prática de habilidades. Mas é claro que seguindo todos os protocolos de biossegurança e respeitando ao máximo o distanciamento entre os participantes! O avanço da campanha de vacinação, o uso de máscara, álcool em gel e a lavagem constante das mãos são fatores indispensáveis para que tudo volte ao normal.

Pronto! Agora você sabe que existem residências sem prova prática em São Paulo e entende tudo sobre como elas funcionam. O mais importante é ficar tranquilo e dar o melhor de si para mandar bem nas provas de todas as instituições de ensino. Você é totalmente capaz de passar na primeira tentativa! Não deixe que o medo e ansiedade dominem os seus pensamentos. Boa sorte!

Com prova prática ou não, a Medway te ajuda a conquistar sua vaga na residência médica dos sonhos em São Paulo. Há muitas opções, por exemplo, o Intensivo São Paulo e o CRMedway, que são os nossos cursos para a prova objetiva e teórica e prova prática, respectivamente!É interessante também que você conheça a Academia Medway, que traz uma série de materiais gratuitos que vão ajudar na sua preparação, como o e-book 15 bloqueios que te impedem de ser aprovado na residência médica”. Não perca tempo!

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
AlexandreRemor

Alexandre Remor

Nascido em 1991, em Florianópolis, formado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e com Residência em Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da FMUSP (HC-FMUSP) e Residência em Administração em Saúde no Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Fanático por novos aprendizados, empreendedorismo e administração.