Carregando

Cirurgia de Cabeça e Pescoço: saiba tudo sobre essa subespecialidade cirúrgica

Índice

Se você achava que escolher a especialidade pra fazer a residência médica era uma tarefa árdua, espera só até descobrir as muitas possibilidades de subespecialização que cada área pode oferecer! Pra quem já fez a residência em Cirurgia Geral — que é pré-requisito pra várias subespecialidades cirúrgicas — e está buscando mais conhecimento e especificidade no exercício da profissão, a bola da vez são as técnicas cirúrgicas complexas: a Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Vem comigo que eu te conto tudo! 

Hoje vamos falar um pouco mais da Cirurgia de Cabeça e Pescoço, especialidade extremamente importante mas frequentemente esquecida.

O que é a subespecialização em Cirurgia de Cabeça e Pescoço

Quem pode fazer 

Antes de mais nada, você deve saber que pra chegar na subespecialização precisa primeiro passar pela residência médica em Cirurgia Geral, que é de acesso direto e dura 3 anos, com treinamento prático em estágios que rodam em ambulatórios, em plantões nas emergências e em prontos-socorros, com realização até de cirurgias eletivas supervisionadas pelos preceptores.

Tudo isso pra que o residente tenha uma sólida formação em clínica cirúrgica com bastante segurança nos conhecimentos adquiridos em semiologia e fisiopatologia que vão servir de base pro próximo patamar: a subespecialização em Cirurgia de Cabeça e Pescoço.

Mas se você ainda tem dúvidas sobre a residência em Cirurgia Geral, confere aqui no blog nosso artigo sobre as instituições mais buscadas em SP. Você também pode entender melhor o dia a dia em cada uma delas com as entrevistas que fizemos com residentes da ISCMSP, da Unifesp, da USP-SP e da USP-RP

O que faz o Cirurgião de Cabeça e Pescoço

Essa é uma daquelas subespecializações em que habilidade e destreza manuais são requeridas. Imagina só a delicadeza e a precisão necessárias pra operar essas áreas tão importantes do corpo humano, tão ricamente inervadas e vascularizadas? Isso sem contar que muito do trabalho do Cirurgião de Cabeça e Pescoço vai depender da estrutura física do hospital, dos recursos tecnológicos disponíveis e da contribuição da equipe multidisciplinar que o auxiliará posteriormente nos cuidados pós-cirúrgicos, como a enfermagem, a fisioterapia, a nutrologia e até a psicologia e a terapia ocupacional.

O médico que conclui a subespecialidade em Cirurgia de Cabeça e Pescoço acaba se tornando não apenas o médico responsável pela cirurgia em si, mas também pelo diagnóstico e pelo tratamento dos pacientes após a cirurgia, tanto crianças quanto adultos. Frequentemente os pacientes operados por esse cirurgião são portadores de tumores benignos ou malignos na região da cabeça e pescoço, por isso a especificidade da profissão. 

Como se especializar nessa área 

Lembra que a gente já falou que pra atuar nesse campo é necessário o pré-requisito da formação inicial em Cirurgia Geral? Mas o que você talvez ainda não saiba é que o tempo de especialização em Cirurgia de Cabeça e Pescoço pode variar entre 2 a 3 anos de residência médica, dependendo do local onde você escolheu cursar. E não pensa que vai ser moleza não! São muitas horas de estudo intenso e muito treinamento em serviço prático pra ganhar confiança no exercício das técnicas cirúrgicas complexas e elaboradas aplicadas principalmente em pacientes oncológicos. 

Segundo a matriz de competências aprovada pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM), o objetivo geral da residência na especialidade é desenvolver competências necessárias para a assistência de pacientes com afecções congênitas, benignas, oncológicas e urgências traumáticas e não traumáticas.

Algumas universidades brasileiras oferecem a subespecialização em Cirurgia de Cabeça e Pescoço anualmente e o processo seletivo é o mesmo da residência médica. A USP-SP (Universidade de São Paulo), por exemplo, além do pré-requisito da Cirurgia Geral, também oportuniza a subespecialização àqueles que já têm residência em Otorrinolaringologia e desejam adquirir mais conhecimentos práticos. 

Pra quem quer ampliar ainda mais seu leque profissional, o Centro de Educação em Saúde Abram Szajman, do Hospital Albert Einstein, oferece aos médicos especialistas em Cirurgia de Cabeça e Pescoço que buscam atualização em Cirurgia Robótica uma pós-graduação presencial em Cirurgia Robótica de Cabeça e Pescoço. Nela, se discute e é colocada em prática a utilização de tecnologia de ponta nas diferentes aplicações da cirurgias robóticas. Vale a pena conferir mais sobre o curso e o valor de investimento lá no site da própria instituição

A rotina de quem atua em Cirurgia de Cabeça e pescoço

No dia a dia de trabalho, os procedimentos diagnósticos mais comuns na rotina do cirurgião especialista de cabeça e pescoço são a videolaringoscopia e a punção aspirativa por agulha fina (PAAF), empregada na investigação de nódulos e massas cervicais. Entre as principais cirurgias executadas pelo cirurgião de cabeça e pescoço, a SBCCP destaca:

  • cirurgias de glândulas salivares;
  • tireoidectomias;
  • traqueostomias;
  • tumores (na boca, na laringe, orofaringe, base do crânio, entre outros)
  • cistos branquiais e do ducto tireoglosso;
  • malformações cervicofaciais

É bom também estar ciente de que manter uma boa relação interpessoal com colegas vai ser imprescindível para a evolução na carreira. O médico que atua nas Cirurgias de Cabeça e Pescoço vai se relacionar com outros das mais diversas especialidades médicas e multidisciplinares, por conta da complexidade anatômica da região em foco.

Dessa forma, é bem comum que o cirurgião de cabeça e pescoço trabalhe em conjunto com neurocirurgiões, cirurgiões plásticos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas e nutricionistas na busca da melhoria contínua da qualidade de vida do paciente em tratamento.

Características do médico que atua com Cirurgia de Cabeça e Pescoço

Bom, como comentamos, é fundamental que o médico que atua nessa área consiga manter uma boa relação interpessoal com colegas, já que vai se relacionar com outros das mais diversas especialidades médicas e multidisciplinares. Além de ser essencial para qualquer cirurgião saber trabalhar bem em equipe, ele precisa conseguir aplicar seus conhecimentos e controlar suas emoções.

Aqui no blog já tivemos um bom papo com um cirurgião que contou tudo sobre a especialidade e o que é preciso pra ser um bom cirurgião, então sugiro dar uma boa olhada aqui!

O mercado de trabalho do Cirurgião de Cabeça e Pescoço 

No Brasil, por conta da enorme incidência de câncer de boca e tireoide, a demanda por médicos especialistas em Cirurgia de Cabeça e Pescoço tem sido cada vez maior, tanto no diagnóstico precoce que minimiza as cirurgias invasivas, quanto nos exames, nas biópsias e nos tratamentos especializados. Isso exige do médico cirurgião de cabeça e pescoço estudo permanente e constante atualização pra encarar os casos desafiadores que ele vai ter pela frente, além de ser necessário ficar por dentro das novas tecnologias disponíveis no mercado.

E não há muitos médicos especialistas disponíveis no Brasil, o que aumenta bastante a chance de sucesso na busca por uma colocação no mercado de trabalho. Atualmente, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço, há pouco mais de 900 médicos registrados.

As oportunidades de atuação desse profissional se dão principalmente em hospitais públicos e privados que têm setores específicos para Oncologia. Mas ele também pode atuar em clínicas de cirurgias endócrinas e bucais e em consultórios particulares, realizando exames especializados e tratamentos paliativos. 

Um notícia boa pra você que se interessa por essa área da medicina é que esse médico pode atuar não apenas na área oncológica — apesar de ser a mais prevalente — mas pode também atender em outras subespecialidades correlacionadas, como a cirurgia crânio-maxilo-facial, que vai cuidar dos problemas orofaciais congênitos ou traumáticos, ou cirurgias endoscópicas nasais e abordar os tumores que se localizam na base do crânio.

Remuneração: Quanto ganha um Cirurgião de Cabeça e Pescoço?

Segundo dados do site salario.com, que levam em consideração apenas os profissionais que atuam sob o regime CLT, a faixa salarial do Médico Cirurgião de Cabeça e Pescoço fica em torno dos 7 mil reais por uma média de 20 horas semanais de trabalho. Mas os rendimentos podem aumentar substancialmente se associados à assistência em planos de saúde e clínicas especializadas, bem como à migração pras áreas de consultoria e educação superior. 

Será que o din-din vale a pena mesmo depois de 2 anos de residência médica e mais 3 anos de subespecialização? Olha, tudo vale a pena quando se tem paixão pelo que se faz! O retorno financeiro é reflexo da sua boa atuação e dedicação. O que a gente sabe é que a demanda tem aumentado e há poucos médicos especialistas disponíveis. Grande parte da procura por esse tipo de profissional se acumula na região sudeste do país, onde também há maior concentração de hospitais especializados. 

Para comparar o salário dessa subespecialidade com outras, dá uma olhada no nosso artigo sobre quanto ganha um cirurgião nas diferentes subespecialidades cirúrgicas aqui no blog!

A Residência Médica em Cirurgia de Cabeça e Pescoço

E pra chegar na tão sonhada área de Cirurgia de Cabeça e Pescoço, se prepare pra trilhar uma jornada extensa e, muitas vezes, desgastante, já que vai ter pelo menos mais 5 anos de estudos após concluir a graduação em Medicina. Você vai passar pelo processo seletivo da Residência Médica em Cirurgia Geral ou Área Cirúrgica Básica ou, ainda, da Otorrinolaringologia. Só depois do pré-requisito finalizado, você consegue se dedicar à subespecialidade de Cirurgia de Cabeça e Pescoço para ver mais a fundo e aprender como aplicar as mais modernas técnicas cirúrgicas dessa parte da anatomia humana.

O Hospital das Clínicas da FMUSP é um dos mais disputados para fazer residência em Cirurgia de Cabeça e Pescoço
O Hospital das Clínicas da FMUSP é um dos mais disputados para fazer residência em Cirurgia de Cabeça e Pescoço

E, mais do nunca, buscar uma preparação que vai te ajudar a fazer a diferença nas provas, tanto da residência de pré-requisito, quanto da subespecialização, vai ser primordial pra você se destacar. Se você acha que a Cirurgia de Cabeça e Pescoço pode ser a residência médica dos seus sonhos, vai ter que começar a se preparar desde já para garantir um bom desempenho nas principais instituições do país, aproveitando que muitas oferecem vagas todo ano! 

Já falamos aqui no blog tudo sobre como é a prova de residência médica da USP, uma das mais renomadas instituições que oferecem a Residência Médica em Cirurgia de Cabeça e Pescoço! Quer saber mais? Então, baixa o nosso novo Guia Estatístico com os cinco temas e assuntos que mais caem em cada grande área na prova da USP, com base em uma análise das provas dos últimos anos. Bora pra cima!

É isso, gente! Bora pra cima! 

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoanaRezende

Joana Rezende

Carioca da gema, nasceu em 93 e formou-se Pediatra pela UFRJ em 2019. No mesmo ano, prestou novo concurso de Residência Médica e foi aprovada em Neurologia no HCFMUSP, porém, não ingressou. Acredita firmemente que a vida não tem só um caminho certo e, por isso, desde então trabalha com suas duas grandes paixões: o ensino e a medicina.