Carregando

5 questões de Medicina Preventiva comentadas

Fala moçada, tudo certo? Esperamos que sim, pois hoje vamos trazer mais um desafio! Alguns de vocês já devem conhecer nossa série de textos em que trazemos 5 questões de diferentes áreas médicas com comentários dos nossos professores para você testar seus conhecimentos e ainda receber aquela assistência para qualquer dúvida que surgir. E hoje é a vez de trazer 5 questões de Medicina Preventiva comentadas!

Estudando para as provas de residência médica? Então é hora de treinar com 5 questões de Medicina Preventiva comentadas
Confira 5 questões de Medicina Preventiva comentadas

Bora lá? Boa sorte!

Questão 1

Unicamp 2017 – Após campanha antitabagista no país, as autoridades sanitárias canadenses constataram uma redução significativa do número de fumantes apenas entre os grupos populacionais de maior renda e escolaridade. Isso quer dizer que: 

A. A atenção à diversidade cultural é um elemento central para a produção de equidade em saúde.

B. Pessoas com baixa renda e escolaridade são mais negligentes no cuidado a sua saúde.

C. A cultura das classes populares é o principal obstáculo a ser superado para a realização de ações mais efetivas em saúde.

D. As iniquidades em saúde devem ser combatidas com investimentos na maior homogeneização dos cuidados em saúde.

Comentário

Vamos lá, o enunciado da primeira das questões de Medicina Preventiva comentadas já nos informou que houve uma diferença no resultado da campanha de acordo com a renda e escolaridade das pessoas. Podemos refletir então que a desigualdade social, além de fatores culturais podem ter influenciado o desfecho da intervenção. 

A partir das alternativas, vamos tentar achar a melhor resposta?

A. Correta. A equidade leva em consideração o contexto ou situação que a pessoa ou população se encontra para oferecer o melhor cuidado e atenção à saúde.

B. Incorreta. O que na verdade precisamos refletir é sobre o acesso que pessoas de baixa renda possuem em relação à saúde, tornando a negligência um fator atrelado a falta de recursos e não como algo cultural ou de escolha. 

C. Incorreta. Para a promoção da saúde, não podemos considerar a cultura como um obstáculo, mas sim como um fator importante e que deve ser levado em consideração na elaboração de uma política pública ou, mais especificamente, uma campanha. 

D. Incorreta. Cuidado com essa alternativa! A melhor forma de cuidar das iniquidades é investir de forma proporcional e respeitando as diversidades. 

Visão do aprovado: se olharmos com cuidado, na verdade abordamos os princípios que também regem o SUS: equidade, universalidade e integralidade. Para acertar a questão, temos que tomar cuidado com as relações levantadas pelas alternativas. Algumas colocaram as pessoas de classe social menos favorecidas em um lugar de “escolha” de não aderir ao que foi veiculado pela campanha, assim como colocou a diversidade cultural como empecilho, e não como fator que deve ser levado em consideração na elaboração de medidas de saúde pública.

Nível de dificuldade: fácil.

Gabarito: alternativa A.

Questão 2

FAMEMA 2021 – Segundo os normativos vigentes do Ministério da Saúde, a Lista Nacional de Notificação Compulsória de Doenças, Agravos e Eventos de Saúde Pública inclui:

A. Meningite viral, acidente com escorpião e leishmaniose visceral.

B. Disenteria por E. coli, dengue com prova do laço positiva e cardiopatia chagásica.

C. Acidente com aranha-marrom, doença mão-pé-boca e leptospirose.

D. Meningite meningocócica, toxoplasmose em idoso e violência contra o idoso.

Comentário

A Notificação Compulsória é um registro que obriga e universaliza as notificações, visando o rápido controle de eventos que requerem pronta intervenção. As doenças ou eventos são selecionadas através de determinados critérios como: magnitude, potencial de disseminação, transcendência, vulnerabilidade, disponibilidade de medidas de controle, compromisso internacional com programas de erradicação, etc. A notificação compulsória é obrigatória para os médicos, outros profissionais de saúde ou responsáveis pelos serviços públicos e privados de saúde, que prestam assistência ao paciente.  

Vamos analisar os itens agora: 

A. Correta. Todas as meningites, acidentes com animais peçonhentos e Leishmaniose (tegumentar e visceral) são doenças de notificação compulsória.

B. Incorreta. Casos suspeitos ou confirmados de dengue devem ser notificados, assim como a doença de Chagas em sua forma crônica ou aguda. Porém, doenças diarreicas agudas, como é o caso da disenteria por E. coli, não entram como agravo de notificação compulsória, mas é necessário o preenchimento da ficha de investigação de surto, se for o caso. Podemos considerar um surto quando duas ou mais pessoas apresentam sintomas similares após ingestão de alimentos contaminados de uma fonte comum.  

C. Incorreta. Acidentes com animais peçonhentos e leptospirose sempre serão notificados. A doença mão-pé-boca só será notificada em caso de surto.  

D. Incorreta. Todas as meningites deverão ser notificadas, assim como violência doméstica, sexual ou outras violências. A toxoplasmose só deve ser notificada na forma congênita e gestacional.  

Visão do aprovado: é gente, a questão é pura decoreba mesmo, infelizmente. Fiquem atentos que essa lista pode apresentar mudanças ao longo dos anos. Sempre deem uma olhada para tentar gravar o máximo que conseguirem e não esqueçam que esse tema também pode fazer parte da prova prática!

Nível de dificuldade: fácil.

Gabarito: alternativa A.

Questão 3

UFRJ 2019 – Em ensaio clínico para avaliar se o tratamento de hiperuricemia com alopurinol em hipertensos reduz a pressão arterial, a estratégia para lidar com a possível falta de comparabilidade entre o grupo tratado com alopurinol e o grupo controle deve utilizar:

A. Randomização.

B. Mascaramento.

C. Placebo no grupo controle.

D. Análise por intenção de tratar. 

Comentário

Segundo o enunciado da terceira das questões de Medicina Preventiva comentadas, queremos verificar se o tratamento com alopurinol em hipertensos com hiperuricemia reduz a PA.

Temos um grupo de hipertensos com características específicas nos quais queremos testar uma intervenção. Se não distribuirmos essa variável de forma homogênea entre os grupos, teremos um viés de seleção.

O viés de seleção é definido quando temos comparação entre grupos de pacientes que apresentam diferenças que podem alterar o desfecho, além do que está sendo estudado. Para evitar esse viés de seleção precisamos randomizá-la. Vamos ver as alternativas:

A. Correta. Randomizar é escolher e colocar os pacientes nos grupos de forma aleatória. Isso torna os grupos homogêneos, evitando possíveis fatores confundidores.

B. Incorreta. Mascaramento ou cegamento é deixar os indivíduos do estudo sem saber, por exemplo, se receberão o medicamento estudado ou o placebo.

C. Incorreta. Placebo é o mesmo que não tratamento. Pode ser, por exemplo, um comprimido semelhante ao do medicamento estudado mas sem efeito terapêutico real.

D. Incorreta. A análise por intenção de tratamento é quando incluímos no resultado todos os pacientes que iniciaram o tratamento, mesmo que não tenham concluído o mesmo. Isso faz com que o estudo se aproxime do real cenário onde alguns pacientes também costumam abandonar o tratamento.

Visão do aprovado: vamos aprender um pouco mais. Quais os outros exemplos de vieses?

Viés de aferição, quando o jeito de aferir o resultado nos dois grupos é distinto; viés de confusão, quando temos dois fatores juntos que estão associados a um mesmo desfecho, o efeito final de um se confunde com o do outro e pode confundir o real resultado do estudo.

Nível de dificuldade: moderado.

Gabarito: alternativa A.

Questão 4

USP-RP 2021 – Menina de 2 anos vem ao consultório do pediatra com queixa de apresentar episódios de coriza, febre, odinofagia e vômitos, diagnosticados como faringites, com frequência de 6 vezes ao ano desde os 8 meses de vida. Refere obstrução nasal, espirros e tosse seca ocasionalmente. Apresenta bom ganho de peso. Nega necessidade de antimicrobianos para tratamento das infecções. Entrou na escola com 6 meses de idade.

Calendário vacinal atualizado, com exceção da vacina contra meningococos ACWY.

Baseado neste caso clínico, assinale a alternativa correta. Trata-se de uma paciente com infecções de repetição, provavelmente devido:

A. A doença de refluxo gastroesofágico.

B. À rinite alérgica.

C. Ao atraso vacinal.

D. À exposição escolar.

Comentário

Questões de Medicina Preventiva comentadas desse tipo merecem nossa atenção, pois vemos um quadro muito típico da prática clínica. Sintomas de via aérea superior, sem febre, em crianças.

As faringites são causadas, em sua maioria, por infecções virais, autolimitadas, e de baixo risco. São muito contagiosas, transmitidas por gotículas e objetos contaminados. E crianças de 2 anos se contaminam facilmente por não terem ainda hábitos de higiene bem desenvolvidos.

Outras informações importantes: a criança está eutrófica (ou seja, as infecções não afetaram seu desenvolvimento) e não precisou de antimicrobianos. Vamos analisar as opções:

A. Incorreta. Na doença do refluxo gastroesofágico existem sintomas mais típicos como tosse crônica, dores abdominais com irritação da criança e mau hálito, que a criança não apresenta. Todos os quadros são autolimitados.

B. Incorreta. A rinite alérgica apresenta também sintomas crônicos que a criança não apresentou, como: respiração bucal, constipação nasal crônica, espirros em crises, coceira nos olhos e nariz e coriza. Novamente, o que distingue do quadro do enunciado é o fato de ser uma doença crônica.

C. Incorreta. Nenhuma vacina protege de faringites, sejam virais ou estreptocócicas. A criança apresenta atraso da vacina meningocócica ACWY, ou seja, para prevenção de meningites, e não faringites.

D. Correta. Crianças que frequentam a escola ficam expostas a uma grande variedade de patógenos. Elas também têm o hábito de colocar muito a mão na boca, e não têm ainda bons hábitos de higiene, principalmente as mais novas. Extremamente comum na prática clínica ver crianças com várias infecções simples e autolimitadas, em curto período de tempo, depois que começam a frequentar a escola.

Visão do aprovado: questão interessante pela proximidade com a realidade e por exigir o diagnóstico diferencial. Lembrem-se do raciocínio clínico: devemos pensar primeiro nos quadros mais simples e mais comuns. Muitas vezes nos preocupamos tanto com detalhes de doenças complexas que esquecemos da prevalência delas no mundo real.

Nível de dificuldade: fácil.

Gabarito: alternativa D.

Questão 5

UFPR 2020 – A partir dos conhecimentos de Sistemas de Saúde e dos Níveis de Prevenção de Doenças, assinale a alternativa correta.

A. No que se refere à equidade no processo de cuidado, há estudos que mostram que médicos atendem melhor os pacientes mais jovens, bonitos e bem vestidos, mais instruídos e que muitas vezes exigem menos serviços.

B. Os sistemas públicos de saúde de cobertura universal fundam-se na equidade, o que significa garantir a liberdade dos usuários em ir diretamente a todos os níveis do sistema.

C. Programas que promovam a redução de quedas de idosos e diminuição na sua mobilidade são considerados de prevenção secundária.

D. Nos países desenvolvidos, a classe alta foi a primeira a iniciar o fumo do tabaco, seguida pela classe pobre, e essa classe alta segue sendo a com maior prevalência do tabagismo.

E. O conjunto de exames e testes realizados em pacientes assintomáticos, os chamados check-ups, possui grande segurança ao demonstrar a normalidade da saúde.

Comentário

Vamos para a última das questões de Medicina Preventiva comentadas e aqui não dá para passar pano! A Sociedade Brasileira de Medicina da Família e Comunidade diz exatamente o  conteúdo da alternativa A no livro “São e Salvo: E livre de intervenções médicas desnecessárias”. O nosso gabarito é baseado em vários estudos do Dr Julian Tudor Hart, um médico inglês que tem em seu nome pesquisas incríveis na MFC. Bora analisar o que tem de equívoco nas outras:

A. Correta.

B. Incorreta. Equidade não significa liberdade do paciente de escolher livremente o nível de atenção que quer. E nem é dessa forma que o ocorre a organização do SUS. Nada a ver.

C. Incorreta. Bora fazer outra revisão aqui:

– Prevenção primária > age nos fatores de risco, evitando a instalação da doença;

– Prevenção secundária > age na fase precoce da doença (métodos de rastreio);

– Prevenção terciária > evita complicações da doença;

– Prevenção quaternária > evitar iatrogenias.

Ao promover programas que evitem quedas, estamos no nível de prevenção primária.

D. Incorreta. Realmente a classe alta foi a primeira a consumir tabaco. Mas sabemos que essa prevalência mudou.

E. Incorreta. A intenção dos exames de rastreio não é de mostrar saúde normal. Em uma população com fatores de risco para determinadas doenças, os exames funcionam para fazer um diagnóstico precoce e evitar desfechos negativos. Trata-se de prevenção secundária! Item incorreto.

Visão do aprovado: em um primeiro olhar, pode até causar estranhamento, uma negação por nossa parte: “eu não trato meus pacientes de forma diferente!!” Mas quando paramos para pensar de forma consciente, sabemos que é uma realidade. E para acertar a questão, basta analisar item por item. Suave?

Nível de dificuldade: moderado.

Gabarito: alternativa A.

E aí, o que achou das questões de Medicina Preventiva comentadas?

Acertou todas? Precisa relembrar algum conceito? Ao estudar por questões, você descobre quais são os assuntos que realmente domina e quais requerem mais atenção durante o seu preparo para as provas de residência médica

Outra dica é fazer as provas na íntegra das instituições que você mais deseja ingressar! Para te ajudar, publicamos artigos aqui no blog com comentários sobre como foram os exames dos principais programas de residência em 2021. Basta clicar em cada instituição para conferir: Famerp, Hospital Albert Einstein, Hospital Sírio Libanês, Iamspe, Santa Casa, SUS-SP, Unesp, Unicamp, Unifesp, USP e USP-RP

Agora, se além dessas 5 questões de Medicina Preventiva comentadas, se você quer ter essas e outras questões na palma da mão e com os comentários do nosso time de professores, assim como você acabou de ver nesse blogpost, você pode baixar o app da Medway, que dá aos alunos do Extensivo São Paulo mais de 10 mil questões comentadas além de recursos como trilhas de estudo filtrando por instituiçãoano de provagrande áreatemafoconível de dificuldadetipo de pergunta e até tipo de imagem!

Ainda não é aluno do Extensivo São Paulo? Não tem problema! A melhor parte do app da Medway é que você consegue começar a experimentar de graça! Ainda não é aluno do Extensivo São Paulo? Não tem problema! Você pode ter acesso imediato a mais de 3 mil questões, além de poder criar até 3 trilhas personalizadas e acessar provas antigas dos últimos 2 anos de mais de 15 instituições. Clique AQUI para saber mais sobre o aplicativo da Medway e começar a usar! Você também pode já fazer download do aplicativo no seu iPhone ou Android ou se cadastrar direto na versão para desktop.

É isso galera! Até a próxima!

Para acessar mais questões de medicina preventiva comentadas, conheça o Intensivo São Paulo e tenha a melhor preparação para as provas de residência médica

Receba conteúdos exclusivos!

Telegram
JoanaRezende

Joana Rezende

Carioca da gema, nasceu em 93 e formou-se Pediatra pela UFRJ em 2019. No mesmo ano, prestou novo concurso de Residência Médica e foi aprovada em Neurologia no HCFMUSP, porém, não ingressou. Acredita firmemente que a vida não tem só um caminho certo e, por isso, desde então trabalha com suas duas grandes paixões: o ensino e a medicina.